quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Patrimônio em Debate: lançamento de Relatório de Pesquisa e Livro.

Rede de Cooperação Identidades Culturais encerra as suas atividades de 2012 lançando o relatório e o último livro da Coleção Identidades Culturais.

Na última quarta-feira, dia 12, no Centro Cultural Palace, aconteceu o evento “Patrimônio em Debate” realizado pela Rede de Cooperação de Identidades Culturais, da Secretaria Municipal da Cultura, quando foi lançado o livro sobre Bonfim Paulista e o Relatório de Pesquisa executada pela Rede sobre o Inventário Nacional de Referências Culturais.
O livro sobre Bonfim Paulista, denominado “De Viaduto a Bonfim Paulista: memória, arquitetura e identidade”, faz parte da Coleção Identidade Culturais. A autoria da obra é de Domingos J. L. Guimarães (professor do Centro Universitário Moura Lacerda), Luís Antonio Moretti Filho e Mônica Jaqueline de Oliveira (historiadores formados pelo Centro Universitário Barão de Mauá) e Juscélia Fiuza, arquiteta.
Segundo Luis Antonio Moretti Filho o livro é um importante registro sobre a história de Bonfim Paulista, buscando associar os documentos existentes com as narrativas dos moradores mais antigos do Distrito. “É um trabalho cujo objetivo é aproximar a comunidade com os bens culturais que são representativos para eles, fazendo com que se tornem essenciais para a construção de uma identidade local”, ressalta Luis Moretti.
Livro de Viaduto à Bonfim Paulista e Relatório II do Inventário de Referências Culturais de Ribeirão Preto.
No mesmo evento, chamado "Patrimônio em Debate" a Rede de Cooperação Identidades Culturais apresentou ao público o 3o. Relatório que resume três anos de pesquisa do grupo sobre as referências culturais de Ribeirão Preto.

Na ocasião foram homenageados como "Referência Cultural do Município de Ribeirão Preto" o senhor Santo, da Escola de Samba Bambas e o Senhor Geraldo, da Sorveteria do Geraldo, entre outros.



terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Patrimônio em debate

No dia 12 de dezembro de 2012, às 15h, no Centro Cultural Palace, a Rede de Cooperação Identidades Culturais realizará o evento "Patrimônio em debate". Na ocasião o grupo lançará, juntamente com a Secretaria Municipal da Cultura, o livro sobre Bonfim Paulista e o 3o. Relatório com os resultados quantitativos do Inventário Nacional de Referências Culturais, realizado em Ribeirão Preto entre 2010 e 2012. O público presente receberá as duas obras e terá contato com os autores e pesquisadores da Rede. Também estarão presentes alguns representantes dos "modos de fazer e ofícios" (referências culturais) inventariados no município, como "café de coador, paçoca de pilão do Macalé e sorvete do Geraldo".

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Pare, olhe e escute

Capa do 11o. volume da Coleção Identidades Culturais, 2012.
"Pare, olhe e escute: patrimônio ferroviário de Ribeirão Preto" é o nome do 11o. volume da Coleção Identidades Culturais, editada pela Rede de Cooperação Identidades Culturais e pela Secretaria Municipal da Cultura. As autoras Camila Vanessa Ferlin de Souza, Mariana Basaglia Soriani e Mayara da Silva Zampollo são pesquisadoras da Rede e atuaram na realização do Inventário do Patrimônio ferroviário edificado do município.

LANÇAMENTO

Centro Cultural Palace
Dia 30 de outubro de 2012
Horário: 17h.




segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Estudantes de arquitetura na Rede de Cooperação Identidades Culturais

Duas alunas do curso de arquitetura da UNIP - Ribeirão Preto - passaram a integrar a Rede de Cooperação Identidades Culturais, no primeiro semestre de 2012. Daniela Souza e Danielle Daveiro executam atividades relacionadas ao Inventário Nacional de Referências Culturais e ao SICG, metodologias de inventário do Iphan. Nos meses de agosto e setembro realizam atividades de campo em antigas fazendas de café, imóveis edificados, entre o final do século XIX e meados do XX, além de auxiliarem na descrição arquitetônica das edificações do período do café.




Daniela Souza e Danielle Daveiro
alunas do curso de arquitetura da UNIP - Ribeirão Preto que estão fazendo estágio na Rede de Cooperação Identidades Culturais/ Departamento de Patrimônio Cultural de Ribeirão Preto, SP.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Educação e Patrimônio Cultural

Membros da Rede de Cooperação Identidades Culturais, da Secretaria Municipal da Cultura de Ribeirão Preto e do curso de História do Centro Universitário Barão de Mauá apresentaram minicurso "Educação e Patrimônio Cultural" no IBILCE/UNESP, em São José do Rio Preto, em 29 de agosto de 2012.
O minicurso teve como objetivo apresentar uma metodologia para ações educativas. A proposta está baseada na noção de "referências culturais" e na experiência de aplicação do INRC (Inventário Nacional de Referências Culturais) em Ribeirão Preto.

 

Abaixo, a apresentação completa:


quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Novo membro da Rede de Cooperação Identidades Culturais


No ano de 2012, o aluno do curso de História do Centro Universitário Barão de Mauá, Leandro dos Santos Silva, passou a fazer parte da "Rede de Cooperação Identidades Culturais". A Rede é um grupo de pesquisa interinstitucional e interdisciplinar, cujo objetivo é empreender uma discussão contínua sobre Patrimônio Cultural em Ribeirão Preto. Atualmente, o grupo vem desenvolvendo o projeto Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC) em parceria com o IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, no centro Histórico de Ribeirão Preto.

Leandro realiza entrevistas com os antigos moradores do município, sob orientação da coordenadora da Rede, Lilian R. de O. Rosa, e da supervisora de campo, Mônica Jaqueline de Oliveira. 

terça-feira, 31 de julho de 2012

Rede de Cooperação Identidades Culturais apresenta quatro trabalhos em Simpósio Internacional

Membros da Rede de Cooperação Identidades Culturais apresentaram entre 16 e 20 de julho de 2012 quatro comunicações que resultaram da pesquisa que vem sendo realizada em Ribeirão Preto. O "Simpósio Internacional de Histórias Públicas: a história e seus públicos" possibilitou a troca de experiências com profissionais de diversas áreas.

O grupo apresentou os seguintes trabalhos:

- Patrimônio Cultural Religioso: uma experiência com o INRC em Ribeirão Preto.
Profa. Dra. Nainora Maria Barbosa de Freitas e Profa. Dra. Lilian Rodrigues de Oliveira Rosa

- A Capelina dos Noivos.
Profa. Monica J. de Oliveira e Luis A. Moretti.

- Inventário Nacional de Referências Culturais.
Profa. Dra. Adriana Silva e Profas. Dra. Lilian Rodrigues de Oliveira Rosa

- Fazendas de Café de Ribeirão Preto.
Arquitetas Ana Carolina e Juscélia Fiuza

Além das comunicações coordenadas, o grupo também apresentou dois documentários: Filhos do Café e Teatro de Arena.

Alguns dos participantes no Simpósio Internacional de Histórias Públicas: história e seus públicos, entre 16 e 20 de setembro de 2012.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Novos pesquisadores aderem ao Grupo de Pesquisa da Rede de Cooperação Identidades Culturais

Carolina Margarido (UNIP) eMarcelo Carlucci (UNISEB)

O prof. Ms Marcelo Carlucci, professor de arquitetura da UNISEB-COC, e a profa. Ms. Carolina Margarido, coordenadora do curso de Arquitetura da UNIP, passaram a fazer parte do grupo de pesquisadores da Rede de Cooperação Identidades Culturais. A Rede tem como objetivo desenvolver o projeto de pesquisa Paisagem Cultural do Café e realiza na cidade  o INRC - Inventário Nacional de Referências Culturais, em parceria com o Iphan-SP. Atualmente, os dois pesquisadores, juntamente com o prof. Domingos Guimarães, do Centro Universitário Moura Lacerda (que está na Rede desde 2010) coordenam o grupo que está estudando a arquitetura do Centro de Ribeirão Preto.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

CONVIDAMOS PARA O LANÇAMENTO DOS LIVROS DA COLEÇÃO NOSSA HISTÓRIA NA FEIRA DO LIVRO


25 DE MAIO – 18h30
CENTRO CULTURAL PALACE

Fundadores: a saga de Manoel Fernandes do Nascimento

AUTOR: José Antonio Correa Lages
26 DE MAIO – 15h00
CENTRO CULTURAL PALACE

Relações de Trabalho agrícola na região de Ribeirão Preto
1945 a 1985

AUTORA: Iliane Jesuína Silva Doresti

27 DE MAIO – 15h00
CENTRO CULTURAL PALACE

O coronel e seu quintal: Joaquim da Cunha Diniz Junqueira e Ribeirão Preto durante a Primeira República

AUTOR: Alexandre Ferreira Mattioli
28 DE MAIO – 18h30
CENTRO CULTURAL PALACE

O engenheiro Antônio Soares Romêo e a modernização urbana de Ribeirão Preto nos tempos do café

AUTORA: Elaine Cristina Caun
29 DE MAIO – 18h30
CENTRO CULTURAL PALACE

Viver cinema: o Cineclube Cauim e seus trinta anos de história
1979-2009

AUTOR: Valter Martins de Paula

02 DE JUNHO DE 2012 – 16h00
CENTRO CULTURAL PALACE

MESA DE DEBATE SOBRE HISTÓRIA DE RIBEIRÃO PRETO

PARTICIPAÇÃO DOS 10 AUTORES DA COLEÇÃO NOSSA HISTÓRIA

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Participação da Rede de Cooperação no Simpósio Internacional de Histórias Públicas.

As pesquisadoras  Adriana Silva e Lilian Rodrigues de Oliveira Rosa representarão a Rede de Cooperação Identidades Culturais no Congresso Internacional Histórias Públicas, com o trabalho "INVENTÁRIO NACIONAL DE REFERÊNCIAS CULTURAIS - Referências culturais do café em Ribeirão Preto". O evento ocorrerá em São Paulo, entre os dias 16 e 20 de julho de 2012, na USP.

A comunicação oral que será apresentata fará reflexões sobre os resultados do INRC (Inventário Nacional de Referências Culturais) aplicado em Ribeirão Preto, SP. O projeto foi implementado por um grupo multidisciplinar de pesquisadores reunidos na Rede de Cooperação Identidades Culturais, entre os anos de 2009 e 2011. Teve como objetivo mapear e identificar as referências culturais ligadas direta ou indiretamente ao período entre 1870 e 1950, quando o município teve papel de relevância econômica na produção cafeeira nacional. A questão que norteou a pesquisa era se Ribeirão Preto possuía uma paisagem cultural do café, no sentido de conservar bens culturais materiais e imateriais que mantivessem relações simbólicas com a população ribeirãopretana. O texto divide-se em duas partes: na primeira são expostas as reflexões que surgiram ao longo da atividade de pesquisa e representam fundamentalmente o fruto dos debates entre a equipe multidisciplinar de pesquisadores. Em seguida, apresenta-se a metodologia do INRC e relata os resultados quantitativos e qualitativos.

As inscrições para novas comunicações orais ainda estão abertas.

CONFIRA:



quinta-feira, 5 de abril de 2012

Pesquisadores da Rede de Cooperação retomam os trabalhos

No dia 06 de março os pesquisadores que fazem parte da Rede de Cooperação Identidades Culturais retornaram aos trabalhos para o ano de 2012. Com o novo cronograma o G2 (Edificações), decidiu que irá rever os imóveis do Centro da cidade, que já foram selecionados, como forma de triagem e para a realização da caracterização arquitetônica. O G3 (Saberes, Fazeres, Formas de Expressão e Celebrações), retomou as entrevistas com os informantes do Centro. Para esse ano a Rede irá finalizar o Inventário do Centro até o mês de Julho, juntamente com o pedido de tombamento do Centro Histórico. No segundo semestre serão abordadas as fazendas de café e as estações ferroviárias, tanto do sítio Ribeirão Preto quanto do sítio Bonfim Paulista.

quinta-feira, 1 de março de 2012

Relatório da Fase 2 do Inventário de Referências Culturais em Ribeirão Preto


Adriana Silva
Secretária da Cultura de
Ribeirão Preto

Difícil explicar para o jornalista que insiste em perguntar o que é a Rede de Cooperação Identidades Culturais. Ele exige materialidade, nós entregamos conceitos, metas, objetivos, cronograma e então a matéria se perde na pauta do jornal e da TV.
Tem sido assim ao longo dos dois últimos anos. Nem todos conseguem dimensionar a importância da proposta do Inventário de Referências Culturais de Ribeirão Preto. Mas o trabalho, ainda em curso, já provocou mudanças, interferiu e, o mais importante, capacitou tecnicamente gestores e pesquisadores.
Hoje sabemos mais, muito mais. E, sabemos ainda, o que é muito significativo, onde devemos chegar. O que era vulnerável está se tornando aparente. O que era conhecimento de poucos está sendo registrado, o que Ribeirão Preto escondia está sendo revelado.
A Secretaria da Cultura que era tão somente promotora se tornou parte de um processo de gestão administrativa amplo e participa ativamente do projeto de Revitalização do Centro da cidade, até pouco tempo restrito a outras setores da administração, é consultada e se tornou condutora de importantes iniciativas de ocupação de vazios urbanos, é proponente de leis de incentivo e de proteção do patrimônio, interfere no Plano Diretor e tem sido ouvida, pois se apoderou, nos últimos dois anos, de conhecimentos que refletem o que a cidade foi e, por isso, aquilo que ela se tornou.   
O Inventário de Referências Culturais que está sendo realizado pela Secretaria da Cultura a partir de convênio com o Iphan, parceria com instituições de ensino superior e entidades organizadas, que juntos formam a Rede de Identidades Culturais. O INRC não é simplesmente um instrumento de peso cultural, é sim uma ferramenta de gestão que não pode ser ignorada se o objetivo é propor o fortalecimento das relações entre o cidadão e sua cidade.
É com esta certeza, que resulta de dois anos de intensa atividade de pesquisa, que apresentamos o Relatório da Fase 2 do INRC (2011) à comunidade de Ribeirão Preto e às instituições que fazem parte da Rede como membros e parceiros.  
Adriana Silva

Secretária da Cultura




Acesse o documento completo do Relatório no link: http://www.ribeiraopreto.sp.gov.br/scultura/relatorio_2.pdf

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

XIII Congreso Solar - La Sociedad Latinoamericana de Estudios Sobre América Latina y el Caribe (Solar)


Universidade de Cartagena, Colômbia

As pesquisadoras da Rede de Cooperação Identidades Culturais e professoras do curso de História do Centro Universitário Barão de Mauá - Profa. Dra. Lilian Rosa e Profa. Dra. Nainôra Maria Barbosa de Freitas –  de 12 a 14 de setembro de 2012, participarão de evento científico em Cartagena, Colômbia.


Profa. Dra. Nainôra M. B. Freitas e
Profa. Dra. Lilian Rosa

O XIII Congreso Solar - La Sociedad Latinoamericana de Estudios Sobre América Latina y el Caribe (Solar) acontecerá na Universidade de Cartagena, com a realização da Rede Universitária de Doutores da Colômbia (RUDECOLOMBIA). O evento internacional reúne especialistas em América Latina com o objetivo de apresentar e discutir trabalhos acadêmicos que tratem sobre o papel da educação e da cultura na integração latinoamericana.

Prof. Dr. Ivan Manoel
Este ano, o evento tem como tema: “Educación y Cultura en la Integración Latinoamericana: Retos del Siglo XXI” . Os docentes brasileiros coordenarão uma Mesa de Debate sobre o tema “Iglesia y Estado em la historia de Brasil”. A presidência da Mesa será do prof. Dr. Ivan Manoel, livre-docente e professor titular da UNESP de Franca, com mestrado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos e doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo. Dr. Ivan é considerado um dos principais especialistas em História da Igreja, com pesquisas sobre conservadorismo católico, política católica e política educacional brasileira.



Para conhecer a programação e a forma de inscrição no Congresso acesse o link:http://www.cadecartagenainvestigaciones.blogspot.com/2011/09/xiii-congreso-solar.html
Contato dos organizadores do XIII SOLAR: xiiicongresosolar@gmail.com


quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Lançamento do Livro Gente de Festa e Folia

Patrimônio Imaterial em Ribeirão Preto

Fernanda de Freitas Dias e Luís Gustavo de Freitas Dias lançaram o livro Gente de Festa e Folia - Patrimônio Cultural Imaterial em Ribeirão Preto. A obra foi realizada com o apoio da Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto, Secretaria Municipal da Cultura - Programa de Incentivo Cultural (PIC) - 2011.
O livro pretende contribuir com as discussões e ações de salvaguarda direcionadas aos bens de natureza imaterial do município de Ribeirão Preto, em especial as Folias de Reis e o Afoxé. Ao mesmo tempo a publicação contribui para a valorização, difusão e continuidade dessas expressões tão importantes na configuração patrimonial local e nacional.







Ribeirão Preto Cidade Histórica

Na Revista Cidade Histórica você poderá conhecer o Programa de Proteção e Preservação Patrimonial de Ribeirão Preto. As propostas estão reunidas no projeto Ribeirão Preto Cidade Histórica que reconhece os corredores culturais do município e protege a paisagem cultural do café.


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Inventário de Edificações de caráter religioso no centro de Ribeirão Preto

Ao longo do segundo semestre de 2011 foi feito um amplo levantamento das instituições religiosas de Ribeirão Preto (centro) e do distrito de Bonfim Paulista, com um resultado seletivo de 11 edificações. Este trabalho é parte do Inventário Nacional de Referências Culturais que está sendo realizado no município pela Rede de Cooperação Identidades Culturais, em parceria com o Iphan e a Secretaria Municipal da Cultura de Ribeirão Preto. Em decorrência do recorte temporal estabelecido para a pesquisa, de 1870 a 1950, foram excluídas algumas igrejas, como a 1ª Igreja Batista, fundada em 1924, porém a edificação atual é dos anos 1970. Esses imóveis serão estudados posteriormente.

A construção desses templos coincidiu com a expansão urbana e com as transformações sociais e culturais da cidade. Algumas delas ainda conservam a arquitetura original seguindo modelo de outros templos de cada crença. Em outras, as modificações foram inúmeras. Os templos estão localizados na área central relativamente próximos uns dos outros. Essas edificações, com seus vitrais e muitos delas com o piso original (Catedral, Igreja São Benedito, Igreja Presbiteriana, entre outros) compõem um legado artístico de valor inestimável. 
Piso da Catedral Metropolitana de Ribeirão Preto.
Foto:Amigos da Fotografia - Elza Rossato, 2011.
Vitral da Catedral Metropolitana. Foto: Amigos da Fotografia - Elza Rossato, 2011

Na Catedral também é possível observar pinturas de Benedito Calixto e outros artistas do início do século XX.  

Pintura de Benedito Calixto. Foto: Amigos da Fotografia - Elza Rossato, 2011.
A listagem das edificações religiosas

Bonfim Paulista
Igreja do Senhor Bom Jesus do Bonfim – 1898
Ribeirão Preto - centro
- Catedral Metropolitana de São Sebastião – 1905-1917 – Praça das Bandeiras s/n.
- Igreja São Benedito - década 1920 – Rua Prudente de Morais, n. 667
- Igreja São José – 1903 – Rua São José n. 743
- Capela do Colégio Nossa Sra. Auxiliadora –Primeira metade do Séc. XX - Rua Duque de Caxias, 927
- Capela Colégio Marista - década 1930 – Rua Bernardino de Campos, 550
- Capela do Hospital da Sociedade Portuguesa de Beneficência- Rua Tibiriçá, n. 1172
- Igreja Metodista - década de 1920 – Rua São Sebastião, n. 728
- Igreja Presbiteriana - década de 1920 – Rua Barão do Amazonas n. 258
- Igreja Congregacional – 1930- Rua Barão do Amazonas, n. 551
- Centro Espírita Eurípedes Barsanulfo (Unificação Kardecista) - 1940 - Rua Mariana Junqueira, 504.










Profa. Dra. Nainora Maria Barbosa de Freitas
Docente do curso de História do Centro Universitário Barão de Mauá
Doutora em História pela UNESP


segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Trabalho de pesquisa desenvolvido no Distrito de Bonfim Paulista, com a metodologia do INRC (Inventário Nacional de Referências Culturais)




Desde o dia 03 de janeiro de 2012, a equipe a do Departamento de Patrimônio Cultural da Secretaria da Cultura de Ribeirão Preto, que representa o grupo coordenador da Rede de Cooperação Identidades Culturais (G1), continua o trabalho de pesquisa e sistematização dos dados coletados durante o ano de 2011. O grupo vem realizando pesquisas de campo para identificar as principais referências culturais da população de Bonfim Paulista, distrito de Ribeirão Preto. 
O trabalho foi fundamentalmente desenvolvido por meio de entrevistas utilizando as ferramentas de pesquisa do INRC – Inventário Nacional de Referências Culturais – do IPHAN (Questionários de identificação de cada categoria (Celebrações -Q20, Edificações - Q30, Formas de Expressão - Q40, Lugares - Q50 e Modos de Fazer e Ofícios - Q60). No total foram 24 entrevistados (bonfinenses e antigos moradores de Bonfim), como se observa no quadro, abaixo, que apresenta as entrevistas por categoria:

Com base nas entrevistas e pesquisas realizadas na fase preliminar (fase I do INRC) em 2010, e as informações coletadas durante a fase de Identificação (fase II do INRC), chegamos a um número, até o presente momento, de 26 Bens Culturais inventariados como referência cultural pelo INRC no Distrito de Bonfim Paulista.

Abaixo, lista de referências culturais identificadas até o presente momento com o instrumento de pesquisa do INRC. Estes são bens culturais apontados pela população como importantes para a identidade de Bonfim Paulista.
Para conhecer o projeto do INRC (Inventário Nacional de Referências Culturais), que está sendo desenvolvido pela Rede de Cooperação Identidades Culturais, mande um e-mail para a coordenadora do projeto, Lilian R. O. Rosa, e-mail para lrosa@cultura.prmp.com.br

Texto de: Mônica J. Oliveira

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Novos estagiários da Rede de Cooperação Identidades Culturais

Novos estagiários passaram a compor a equipe de pesquisa de Rede de Cooperação Identidades Culturais

Dafne Amaral, Luis Antonio Moretti e Cristiane Faleiros
Três novos estagiários fazem parte da Rede de Cooperação Identidades Culturais: Dafne Amaral, estudante de arquitetura do Centro Universitário Moura Lacerda, Cristiane Faleiros, estudante de arquitetura do UNISEBCOC e Luis Antonio Moretti, estudante de História do Centro Universitário Barão de Mauá.
Eles desenvolvem atividades relacionadas ao Inventário Nacional de Referências Culturais em Ribeirão Preto, orientados e supervisionados por profissionais da arquitetura, história, sociologia, entre outros. Dafne afirma que é "uma excelente oportunidade para conhecer melhor a arquitetura e a história local". Cristiane destaca que tem gostado de estar "em contato com a arquitetura com características coloniais de Bonfim Paulista".
Já Luis Moretti, que tem feito entrevistas com moradores do Distrito de Bonfim Paulista utilizando a metodologia do INRC afirma que a experiência promove o aprofundamento do conhecimento da metodologia da oralidade utilizada pela historiografia. "É muito interessante observar a percepção de cotidiano e de vida que as pessoas tem", informa Luís.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

A Capelinha de Bonfim Paulista.


Foto: Aureliano Borges na entrada da Capelinha.
Fonte: Rede de Cooperação Identidades Culturais, 2011


Afetividade e religiosidade: a Capela dos Noivos.

No dia 29 de setembro de 2011, o senhor Aureliano Borges foi entrevistado pela pesquisadora Mônica Jaqueline de Oliveira, membro da Rede de Cooperação Identidades Culturais. O propósito inicial era falar sobre o Clube Esportivo Atlético Bonfinense.
Contudo, no decorrer da entrevista o Sr. Aureliano relatou à pesquisadora o seu envolvimento afetivo com a Capelinha, também conhecida como Capela dos Noivos, Capela de São Sebastião, entre outras denominações. A partir das informações coletadas no encontro com Aureliano, o grupo realizou outras quatro entrevistas com moradores de Bonfim Paulista sobre esta edificação religiosa, que se localizava no meio do caminho da Estrada Municipal, que liga Bonfim Paulista às fazendas da região.
A Capelinha foi erguida no local onde anteriormente havia um Cruzeiro. De acordo com os relatos este é o local de sepultamento de um casal de noivos mortos pelo pai da noiva.

Dona Terezinha Greggio Coli lembra emocionada das procissões que aconteciam na época de estiagem. Os pequenos agricultores que corriam o risco de perder sua safra por causa da seca passavam nove dias em procissão das fazendas à Capela, carregando baldes e garrafões de água. No local rezavam missas e terços em louvor a São Sebastião, para que a chuva voltasse a cair e salvasse as plantações.  “Nós nunca chegamos ao nono dia sem chuva, no quarto ou no sexto dia nossas preces eram atendidas e a chuva caia [...]. Era um povo de muita fé” relembra Terezinha com os olhos marejados.
As entrevistas levaram os pesquisadores a inventariarem a Capelinha na categoria de Lugar. Na metodologia do INRC (INRC - Inventário Nacional de Referências Culturais), usada pela equipe da Rede de cooperação, essa categoria diz respeito aos bens que possuem sentido cultural diferenciado para a população local. São espaços demarcados geograficamente e apropriados por práticas e atividades de naturezas variadas (trabalho, comércio, lazer, religião, política). Nesse caso, o valor do bem cultural, a Capelinha, não é estético ou arquitetônico, mas um valor simbólico, marcado pela religiosidade local.

Foto: Fachada Principal da  Construção da Nova Capelinha (réplica)
Fonte: Rede de Cooperação Identidades Culturais, 2012

 Entre o final de 2011 e o início de 2012, o local da Capelinha deu lugar a um empreendimento imobiliário. De início a pequena capela foi poupada, pois ficava evidente a forte relação afetiva entre a população da região e a edificação. Contudo, como a construção ficava bem em frente a portaria principal de um futuro condomínio, a empresa demoliu a Capela e construiu uma nova edificação em outro local. Sobre essa questão o Sr Aureliano fez a seguinte observação: “Quem morreu ali não sai dali para acompanhar a Capela”.
Atualmente, a equipe de pesquisadores trabalha para medir qual foi o impacto da demolição e da construção da nova Capelinha para a população local.